Se tem dúvidas sobre o uso adequado de máscaras infantis durante a pandemia de covid-19, a Sociedade Portuguesa de Pediatria dá-lhe uma ajuda.
Ana Margarida Marques

É importante que os pais e cuidadores saibam como proceder para fazer uma utilização adequada de máscaras infantis. 

Um artigo da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP), publicado no seu portal Criança e Família, inclui diversas perguntas-respostas para ajudar a esclarecer os pais sobre o uso correto de máscaras em idade pediátrica.

Quando deve utilizar a máscara

Os autores explicam que “em Portugal apenas é obrigatória a utilização de máscaras em crianças, com idade igual ou superior a dez anos, nas escolas e nos transportes coletivos de passageiros.”

A máscara deve ser utilizada em “crianças com idade superior a dois anos se estiverem em espaços fechados, como supermercados ou hospitais”, refere o artigo, acrescentando: “O ideal é usar a máscara o menor tempo possível e por isso evitar a permanência nestes espaços se não for estritamente necessário.“

Uso não recomendado da máscara

A SPP alerta que a máscara não está recomendada em “crianças com idade inferior a dois anos, pelo risco de asfixia”.

Também não deve colocar a máscara na criança se, “independentemente da sua idade, (a criança) não compreende as regras de utilização da máscara, não tolera a sua colocação ou toca frequentemente na máscara”, já que “a manipulação da máscara aumenta o risco de exposição ao vírus”.

A máscara não deve ser usada “enquanto a criança come, bebe, pratica exercício físico ou durante atividades lúdicas”.

Não coloque máscara na criança “se a única máscara disponível não for de tamanho adequado, existindo risco de asfixia”.

Que máscaras devem ser usadas em crianças

A SPP esclarece que “as máscaras infantis devem ter um tamanho adequado à face da criança, cobrindo o nariz e a boca.”

A sociedade recomenda até o tipo de máscaras mais indicado para uma utilização correta por parte dos mais pequenos. E atenção: “independentemente do tipo de máscara utilizada, esta deve ser certificada pelas entidades competentes”.

Cuidados de utilização nas crianças

A SPP alerta para alguns cuidados de utilização da máscara, bem como deve ser colocada no rosto para proteger a criança.

“Antes e depois da colocação/remoção da máscara, as mãos devem ser lavadas com água e sabão ou desinfetadas com solução alcoólica”, recomendam os autores.

A máscara deve ser substituída após 4 a 6 horas de utilização ou sempre que estiver húmida. Após cada utilização, deve “ser colocada no lixo comum”. Já a máscara social deve ser lavada e seca de acordo com as indicações do fabricante. 

Dicas para ajudar a enfrentar medos e estranheza

“Se a criança tiver medo de utilizar máscara, os familiares também devem utilizá-la, para que ela não se sinta sozinha. Enquanto estiver a utilizar máscara, fale com a criança ao espelho sobre isso”, sugere a SPP.

A SPP deixa alguns conselhos:

  • Coloque uma máscara no seu brinquedo ou peluche preferido; 
  • Desenhe uma máscara na sua personagem preferida; 
  • Mostre à criança fotos de outras crianças a utilizar máscara; 
  • Utilize máscaras com motivos infantis desenhados; 
  • Pratique a utilização correta da máscara em casa;
  • Tranquilize a criança e enfatize que a máscara o torna mais seguro.

O uso de máscaras na comunidade constitui uma medida adicional de proteção. Além de ser fundamental a sua utilização adequada, deve ser mantido o distanciamento social e as regras de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca sempre que tossir ou espirrar, utilizando o cotovelo ou um lenço de papel; colocar o lenço de papel no lixo; lavar com frequência as mãos. SPP

O texto foi elaborado para o portal Criança e Família, da SPP, por Laura Correia, Interna de Formação Específica em Pediatria Médica do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, Patrícia Gomes Pereira, Interna de Formação Específica em Pediatria Médica do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, com a orientação de Filipa Rodrigues, Assistente Hospitalar de Pediatria, Centro Hospitalar do Baixo Vouga.