Artigo da revista Current Biology abre novos caminhos na investigação sobre a comunicação cérebro-corpo que ocorre enquanto os bebés dormem.
Ana Margarida Marques

Há muitos anos que investigadores do Iowa estudam os movimentos de contrações musculares nos bebés durante o sono e a sua relação com a capacidade de aprenderem a coordenar os movimentos corporais. 

Agora num estudo publicado na revista Current Biology, a equipa relata que observou nos bebés, a partir dos três meses de idade, que observou um aumento de contrações musculares durante uma fase chamada sono tranquilo.

“Isto foi completamente surpreendente e, pelo que sabemos, único para os seres humanos, adultos e bebés”, refere num comunicado de imprensa Mark Blumberg, F. Wendell Miller Professor e presidente do Departamento de Ciências Psicológicas e do Cérebro, um dos autores do estudo.

Registadas ondas cerebrais nos bebés durante o sono

Para o estudo, os investigadores observaram 22 bebés durante o sono, com idades compreendidas entre uma semana e sete meses. 

No início, os cientistas consideraram apenas os espasmos que ocorrem durante o sono REM. Numa fase posterior foram surpreendidos com novos resultados: as crianças também contraem os seus membros fora da fase REM.

“As contrações musculares pareciam exatamente as mesmas”, avança Greta Sokoloff, cientista investigadora do Departamento de Ciências Psicológicas e Cerebral do Iowa e autora principal do estudo. “Não estávamos à espera de observar tais contrações durante o sono tranquilo – afinal, o sono tranquilo ganhou esse nome porque os humanos e outros animais normalmente não se movem durante esse estado”.

Como os investigadores estavam a registar ondas cerebrais nos bebés durante o sono, foram capazes de estudar a atividade cerebral associada aos tremores. Durante o sono tranquilo os bebés produziram oscilações cerebrais, chamadas fusos de sono, uma vez a cada dez segundos.

Mecanismos do sono ligados à aprendizagem e à memória

Os fusos do sono funcionam como uma janela para a coordenação do cérebro com o seu sistema motor. Os investigadores descobriram que os fusos de sono nos bebés concentraram-se ao longo da faixa sensorimotora, onde o córtex processa informação sensorial e motora. 

Os investigadores também apuraram que os fusos do sono estavam sincronizados com as contrações musculares nos bebés.

“Os fusos do sono têm sido amplamente ligados à aprendizagem e à memória”, explica Sokoloff. “Assim, as nossas descobertas sugerem-nos que o que os bebés estão a fazer é aprender sobre os seus corpos através de contrações durante um período de sono que anteriormente pensávamos ter sido definido pelo silêncio comportamental”.

A descoberta abre toda uma nova via de investigação sobre a comunicação cérebro-corpo que ocorre enquanto os bebés dormem.

“Os bebés têm de integrar o cérebro com o corpo, para que o sistema se instale e funcione corretamente”. Nem tudo está ligado à nascença. Há muito desenvolvimento que tem de acontecer após o nascimento. O que pensamos estar a ver é um novo modo de integração entre as diferentes partes do cérebro e do corpo”, refere Blumberg.

O próximo passo será observar uma amostra alargada de bebés e estudar o seu sono durante o dia e a noite para confirmar os resultados do presente estudo.