Projeto da DGS “Somos o que Brincamos” pretende mostrar como os contos de fadas são um recurso para ajudar as crianças a resolver conflitos e gerir angústias.
Ana Margarida Marques

A Direção-Geral da Saúde (DGS) tem em curso uma campanha com o objetivo de mostrar a importância dos contos de fadas na promoção da saúde mental infantil.

Com o mote “Somos o que Brincamos”, a campanha é promovida pelo Programa Nacional para a Saúde Mental da DGS, em parceria com a livraria Fonte de Letras (Évora).

O projeto vem enfatizar a ideia de que os contos de fadas são um recurso para ajudar as crianças a resolver conflitos e gerir angústias.

Campanha chegará a vários pontos do país

O Alentejo interior (distrito de Évora) será o primeiro cenário onde se vai desenrolar a ação, para crianças entre os quatro e os dez anos e para as suas famílias e educadores. 

A intenção será alargar a campanha a outros pontos do país, contando com apoio das livrarias locais.

As atividades para crianças e educadores vão incluir histórias contadas, livros, jogo dramático encenado e construção de material pedagógico.

Haverá sempre um momento de reflexão e discussão sobre a promoção da saúde mental da criança, orientado por um profissional de saúde mental.

Contributo de diversos especialistas na área da infância

O desenvolvimento do projeto teve contributos de professores universitários na área da literatura, educadores de infância, artistas ilustradores, contadores de histórias, técnicos de saúde mental, crianças, pais e cuidadores.

De acordo com Conceição Tavares de Almeida, do Programa Nacional para a Saúde Mental, da DGS:

Hoje em dia, com o politicamente correto, o branqueamento de conflitos e a aposta no sucesso e na eficácia, achámos que era importante voltar a uma filosofia em que se pudesse reabilitar algumas figuras importantes para o desenvolvimento das crianças, que têm que ver com o universo imaginário, em particular das narrativas e personagens dos contos de fadas.

Mais informação: DGS.