Fique com conselhos para a fase da introdução dos sólidos. A escolha adequada da colher e o ambiente das refeições são fatores essenciais.
Ana Margarida Marques

Especialistas lembram a importância do uso adequado da colher na fase da alimentação complementar.

No entanto, a colher é um objeto estranho ao qual vai precisar de se adaptar, explica a terapeuta da fala Teresa Sameiro.

Na introdução alimentar, recomenda-se o uso de uma colher de plástico duro (e não de silicone). A ideia é que a criança receba a informação motora adequada para facilitar a aprendizagem na fase de transição para os alimentos sólidos.

“Se fizermos uma ligeira pressão com a colher na língua, percebemos que, automaticamente, o bebé percebe o que tem de fazer e adapta a sua postura”, aconselha a especialista.

Cuidados a ter à hora da refeição

Nas primeiras refeições e na aprendizagem do uso da colher, é muito importante ter em conta os conselhos dos especialistas.

A primeira regra é que as refeições com o bebé devem ocorrer num ambiente tranquilo e de forma prazerosa.

Outro princípio é que a criança não deve receber outros estímulos à refeição, como a televisão, tablets ou telemóveis.

Vínculo afetivo relacionado com nutrição

Por outro lado, os pais devem também aproveitar as primeiras refeições para desfrutar momentos de afeto com os filhos.

Até porque a relação que se estabelece com o bebé durante a alimentação promove o vínculo afetivo (amor) entre pais e filhos, segundo os especialistas. 

“Quando a mãe está a alimentar o bebé, significa que está a fazer com que ele cresça e a extrapolar que, bem alimentado, vai ser um adulto saudável e feliz”, acrescenta Teresa Sameiro.