Investigadores do Seattle Children’s Research Institute apuraram que as mães com níveis mais elevados de vitamina D durante a gravidez tendem a ter filhos com melhores índices de QI aos 4-6 anos de idade.
Ana Margarida Marques

Um novo estudo sugere que o aporte adequado de vitamina D durante a gravidez não é apenas vital para o crescimento, mas também tem impacto na inteligência de uma criança aos 4-6 anos. 

O estudo encontra-se publicado na revista The Journal of Nutrition.

A investigação teve por base dados retirados do estudo Conditions Affecting Neurocognitive Development and Learning in Early Childhood (CANDLE). Foram acompanhadas mulheres grávidas e os seus bebés em 2006, tendo depois sido vigiados durante os anos seguintes.

Depois de controlados vários fatores que influenciam o QI, foi identificado que os níveis mais elevados de vitamina D durante a gravidez tinham uma ligação ao QI mais alto em crianças aos 4-6 anos de idade. 

Autores recomendam exposição solar, dieta saudável e suplementação

Segundo a autora principal Melissa M. Melough, o estudo comprova ser essencial haver uma maior sensibilização para a importância do aporte adequado de vitamina D durante a gravidez.

Os resultados mostram haver implicações duradouras da vitamina D pré-natal para a criança e o seu desenvolvimento neurocognitivo.

Embora as descobertas apontem para a existência de uma associação entre a nutrição pré-natal e a inteligência, não fornecem uma causa específica.

“A carência de vitamina D é bastante prevalente”, explica Melough. “A boa notícia é que existe uma solução relativamente fácil. Pode ser difícil obter vitamina D adequada através da dieta, e nem todos podem compensar esta lacuna através da exposição solar, pelo que uma boa solução é tomar um suplemento”.

Este nutriente é importante para a sua saúde da grávida e também para a do seu bebé, concluem os autores.

Estudos anteriores mostram que obter vitamina D suficiente tem vários benefícios ao nível da saúde em geral.