A alimentação da mãe durante a gravidez pode ser determinante para o Índice de Massa Corporal (IMC) do filho durante a infância e a adolescência.

A alimentação da mãe durante a gravidez pode ser determinante para o Índice de Massa Corporal (IMC) do filho durante a infância e a adolescência, segundo um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition.

Os investigadores acompanharam os hábitos alimentares de mais de mil díades de mães e filhos.

A conclusão principal é que as crianças têm mais probabilidade de ganhar peso a mais entre os 3 e os 10 anos de idade quando, durante a gestação, as mães ingerem alimentos com potencial inflamatório, ricos em gordura saturada e gordura trans, como carnes, laticínios e ultraprocessados. 

A investigação comprova que os alimentos ingeridos durante a gravidez podem influenciar o metabolismo da criança em crescimento, bem como os seus comportamentos alimentares e preferências alimentares.

Dieta tem efeitos no IMC desde o nascimento à adolescência

Segundo os autores do estudo, a dieta materna na gravidez está associada a diferenças nas trajetórias do IMC infantil desde o nascimento até à adolescência.

A nutrição na gravidez e o crescimento acelerado da infância são importantes fatores de previsão do risco de obesidade, consideram os investigadores.

No entanto, desconhece-se quais os padrões alimentares na gravidez que estão associados ao crescimento acelerado e se existem períodos específicos desde o nascimento até à adolescência que são mais sensíveis a estas associações.

A identificação dos padrões alimentares específicos na gravidez associados ao rápido aumento de peso em crianças poderá ser útil na definição de estratégias para reduzir a obesidade infantil.