O exercício pode ajudar as crianças com autismo a gerir questões comportamentais, segundo um estudo da revista Medicine & Science in Sports & Exercise Journal.
Ana Margarida Marques

Praticar exercício físico pode ajudar a gerir comportamentos frequentes nas crianças com autismo, segundo um estudo publicado na revista Medicine & Science in Sports & Exercise Journal

“O exercício vai além dos benefícios relacionados com a saúde e o aumento dos níveis de aptidão física das pessoas com autismo”, avança David Geslak, um especialista pioneiro na utilização de exercício físico para ajudar as crianças com autismo.

“A investigação mostra que o exercício pode aumentar a concentração, melhorar o desempenho académico, reduzir os comportamentos estereotipados e criar confiança”, segundo Geslak.

Bastam 10 minutos de exercício de baixa intensidade para reduzir a repetição verbal de frases ou palavras e o bater de palmas, dois comportamentos comuns associados ao autismo.

A experiência de David Geslak no ensino de exercício numa escola para crianças com autismo levou ao desenvolvimento de um programa personalizado de aptidão física que faz parte do currículo em 12 universidades nos EUA.

O especialista é também responsável pelo lançamento do programa Certificado de Especialista em Exercício do Autismo em 2018. Mais de 500 profissionais participaram no programa, segundo o Colégio Americano de Medicina Desportiva.

Como tornar as crianças com autismo mais ativas

Geslak sugere três estratégias baseadas em provas para ajudar as crianças com autismo a tornarem-se mais ativas:  

Usar meios visuais: Imagens e outros meios visuais podem ajudar as crianças com autismo na relação com o exercício e a estabelecer uma estrutura e rotina.

Estabelecer rotinas: Um programa de exercícios deve ser integrado na rotina diária ou semanal da criança. Mesmo uma sessão de exercício por semana pode ser benéfica.

Escolher a persistência em vez da perfeição: Os pais devem colocar a criança em movimento, porque mesmo que não pratiquem com ela exercício propriamente dito, é muito vantajoso estimular a sua consicência física.

 Dia Mundial da Consciencialização do Autismo

De acordo com David Geslak, “o ensino do exercício no âmbito do autismo tem um impacto profundo na criança, nos seus pais e nos terapeutas ou educadores que trabalham com eles”.

O Dia Mundial da Consciencialização do Autismo (World Autism Awareness Day) é comemorado no dia 2 de abril, data definida pela Organização das Nações Unidas (ONU). 

O objetivo da efeméride é alertar e esclarecer a população mundial sobre o autismo.