Novo estudo demonstra como o canto para os bebés prematuros pode ajudar a reduzir a ansiedade das mães e a criar laços afetivos com o bebé.
Ana Margarida Marques

Investigadores da Universidade de Helsínquia observaram 24 mães que cantaram para o seu bebé enquanto o seguravam pele a pele durante o internamento no hospital. 

Os cientistas pediram às mães para cantar para os seus bebés. Em seguida, as mães registaram os seus pensamentos num diário e preencheram um questionário.

estudo concluiu que cantar poderá ajudar a reduzir a ansiedade da mãe e ajudá-la a criar laços com o seu filho antes de voltarem para casa.

As mães que cantaram com o bebé em contacto pele a pele (“método canguru”) tiveram níveis de ansiedade estatisticamente reduzidos em comparação com as mães que não o fizeram.   

Canto e contacto físico aumentam laços afetivos

Quando uma criança nasce antes do termo, a mãe e o bebé são fisicamente separados devido aos cuidados hospitalares necessários para ajudar o bebé a crescer antes de voltar para casa. 

Os pais de bebés prematuros sofrem com muito stress no hospital devido à sua preocupação com a sobrevivência do bebé ou o seu estado de saúde.

Isto aumenta o seu risco de ansiedade e depressão, particularmente entre as mães de bebés cujo peso ao nascer é muito baixo ou que nascem muito cedo. 

Cantar tem um efeito positivo na mãe

Os investigadores avaliaram os efeitos do canto durante o “método canguru” na saúde mental da mãe e na sua relação com o bebé prematuro.  

Um terapeuta musical orientou os pais a cantar de uma forma adequada à idade do bebé prematuro.

Os resultados mostram que cantar também teve um efeito positivo no humor materno e bem-estar geral – mesmo quando não foi especificamente encorajado pelos investigadores.

Estudos anteriores têm comprovado o efeito da música nos bebés.

Pais também cantaram para os seus bebés

Um total de 18 das 24 mães relataram que cantar melhorou o seu humor, e 14 sentiram que isso as ajudou a lidar com uma situação difícil. 

Além disso, as mães sentiram que cantar relaxou tanto a si próprias como aos seus bebés, bem como apoiou o estabelecimento da relação com o seu bebé. 

Pelo menos 19 mães relataram que os bebés relaxaram com o seu canto, e 17 afirmaram que os bebés adormeceram enquanto os ouviam cantar.  

Quase todas as mães sentiram que o canto promoveu a interação com os seus bebés e tornava mais fácil estabelecer uma ligação emocional.

Mães podem precisar de apoio, orientação e privacidade para cantar

Os resultados mostram que o canto durante o método canguru após o nascimento prematuro pode apoiar o bem-estar materno e a relação mãe-criança.

Isto abre portas a situações de maior interação e promovendo uma ligação emocional.

Contudo, as mães podem precisar de apoio, orientação e privacidade para cantar. 

De acordo com as conclusões, as mães podem beneficiar do apoio e orientação prestados por um terapeuta musical formado no canto e na utilização da sua voz para apoiar o bem-estar e a interação enquanto se encontram nos cuidados hospitalares.

Os resultados foram publicados no Nordic Journal of Music Therapy.