Franka Cadée, presidente da Confederação Internacional de Parteiras, responde às questões da UNICEF para esclarecer as grávidas no contexto do surto de Covid-19.

Perante a atual crise epidémica, a UNICEF demonstra preocupação com as futuras mães: “A gravidez é um período muito especial na vida de uma mulher, mas para as grávidas durante este período de pandemia, a incerteza, o medo e a ansiedade podem estar a condicionar um momento naturalmente feliz.” 

Fique com um resumo das recomendações de Franka Cadée, presidente da Confederação Internacional de Parteiras, numa entrevista da UNICEF:  

É seguro continuar a fazer consultas de rotina?

Muitas grávidas têm receio de ir a consultas devido ao período de isolamento por causa da pandemia. Franka Cadée aconselha as mães a procurar o apoio dos profissionais de saúde e a confirmar as “opções” que estão “disponíveis na sua comunidade”. 

Se eu estiver infetada com coronavírus vou transmitir o vírus ao meu bebé?

Ainda não se sabe ao certo se o vírus pode ser transmitido da mãe para o bebé durante a gravidez. A recomendação de Franka Cadée é que as grávidas sigam as precauções necessárias para evitar o contágio. 

Estava a planear fazer o parto num hospital ou numa clínica. Ainda é uma boa opção?

Cadée responde que “depende de cada pessoa, da sua situação e do sistema de saúde onde se insere.” A responsável sugere que as grávidas perguntem ao seu médico sobre qual a opção mais segura para elas e que precauções devem ter. 

O meu parceiro ou um membro da família podem estar presentes durante o parto?

Cadée é da opinião de que a grávida deve ter alguém por perto para dar apoio, desde que as medidas de precaução sejam tomadas, como usar máscara enquanto estiver dentro da sala de parto e lavar as mãos. 

Estou a sentir-me muito ansiosa em relação ao parto. O que devo fazer para me acalmar?

Cadée incentiva as mães a ter em mente um plano para o seu parto. Em contrapartida salienta que “é importante reconhecer que a situação atual tem associada ainda uma certa imprevisibilidade.”

O que é que devo levar para o hospital tendo em conta o coronavírus?

Para a responsável, “vai ser diferente de país para país, de mulher para mulher, de hospital para hospital”. A sugestão é a grávida perguntar ao seu médico o que aconselha que leve para o hospital.

Depois de ter o meu bebé, o que posso fazer para o proteger do coronavírus?

Sara Cadée recomenda que a mãe e o bebé não recebam visitas durante este período. “Caso tenha mais filhos, garanta que estes não estão com outras crianças”. É importante que a mãe se mantenha “positiva” e que aproveite este período para conviver com a família.

Estou grávida. Como devo proceder para me manter saudável durante o período do coronavírus? 

Não há evidência científica que prove que as grávidas têm mais risco de contrair o coronavírus do que qualquer outro grupo. Contudo, é importante ter precauções para proteger a sua saúde e a do seu bebé.

Posso dar de mamar?
É seguro continuar a dar leite materno, avança Cadée: “Mães que se encontrem bem para continuar a dar de mamar, devem tomar precauções como usar uma máscara, lavar as mãos antes e depois de ter contacto com o bebé e desinfetar as superfícies.”

O que devo fazer se viver num espaço com muitas pessoas?

Muitas mulheres vivem em proximidade com outras pessoas, o que dificulta o distanciamento social. A responsável refere que é essencial manter a distância, “que lhes designem casas-de-banho próprias e que não se esqueçam da importância de lavar as mãos.”