Estudo finlandês alerta para a importância da prevenção da exposição ao fumo do tabaco em crianças e adolescentes.
Ana Margarida Marques

Investigadores avaliaram o impacto do tabagismo dos pais em crianças e jovens. A conclusão é que a exposição ao fumo do tabaco na infância e na adolescência está associada a uma menor capacidade de aprendizagem e de memória na idade adulta. 

Os autores do estudo acompanharam 3500 participantes ao longo de 31 anos, observando os seus fatores de risco cardiovascular desde a infância até a idade adulta.

A investigação faz parte de um estudo nacional de risco cardiovascular em jovens finlandeses, coordenado pela Universidade de Turku, na Finlândia.

Sabe-se que o fumo ativo é prejudicial para a função cognitiva. Associações semelhantes estão a ser observadas no tabagismo passivo.

Os resultados do estudo destacam que o foco da prevenção da exposição ao fumo passivo deve ser feito em crianças e adolescentes, com a finalidade de promover a saúde cerebral na idade adulta. 

Além de ser urgente proteger crianças e adolescentes do início do tabagismo ativo, há que sensibilizar os pais para a exposição ao fumo passivo em casa e noutros lugares.

O estudo encontra-se publicado na revista American Journal of Epidemiology.

Publicidade