Porque deve cuidar do coto umbilical

Aprenda mais sobre a importância de proteger o recém-nascido de infeções e quais os sinais de inflamação ou infeção do coto umbilical.
Texto: Colégio da Especialidade de Enfermagem em Saúde Infantil e Pediátrica, Ordem dos Enfermeiros | Edição: Ana Margarida Marques
O coto umbilical é uma pequena parte do cordão umbilical, cerca de 3cm, que permanece quando após o nascimento se corta o cordão umbilical.

O cordão umbilical permite unir o feto à placenta e a sua formação ocorre entre a quinta e a décima semana de gestação possibilitando o fornecimento de oxigénio e alimento para o bebé durante o período de gestação. Depois do nascimento, o cordão é cortado e pinçado com uma espécie de mola, chamada “clamp”, para evitar que haja uma hemorragia local.

Processo de cicatrização

Inicialmente, o coto apresenta-se com um aspeto mole e gelatinoso, tornando-se escuro, seco e duro com o passar dos dias. A sua queda ocorre entre o quinto e o décimo quinto dia de vida, no entanto em alguns casos, esse período pode aumentar ou diminuir, sem que constitua um problema. Por já não haver circulação sanguínea nem terminações nervosas o tecido do coto não tem sensibilidade, e por isso a sua manipulação não é dolorosa para o recém-nascido.

Sinais de alerta

Os principais sinais de alerta relacionados com o coto umbilical são inflamação e infeção, nomeadamente:

  • Edema (inchaço)
  • Rubor (vermelhidão)
  • Secreções
  • Mau cheiro

Caso os pais detetem algum sinal de alerta, devem contactar de imediato o médico assistente.

 

Bibliografia

HOCKENBERRY, Marilyn J; WILSON, David; WINKELSTEIN, M. – Wong fundamentos de Enfermagem pediátrica. Rio de Janeiro: Elsevier Editora, 2006

Cuidados ao recém-nascido – Guia de Obstetrícia