Fique com as medidas essenciais para lidar com o aumento de temperatura corporal.
Ana Margarida Marques

Os pais tornam-se especialistas em ajudar os filhos a encontrar saúde e bem-estar desde o nascimento. Com o aparecimento dos primeiros dias de doença – por exemplo em caso de febre – é importante aprender medidas de atuação básicas de saúde.

Ivete Monteiro, Enfermeira Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica, apresenta estratégias para os pais ajudarem o bebé com febre. Em caso de dúvida, é essencial pedir ajuda aos profissionais de saúde para receber a orientação mais adequada a cada situação.

Gerir o ambiente

O ambiente deve ser agradável para a criança. Não deve
deixar o bebé em ambientes demasiado aquecidos ou arejados (prefira o meio
termo). Mantenha a criança com pouca roupa, mas evite despi-la totalmente
(vista uma camisola, um bódi).

Avaliar a temperatura

A febre pode ser considerada a partir de 38º de temperatura
axilar (mais fiável). Contudo, a temperatura corporal varia muito em cada
criança. Com 37º de temperatura axilar, alguns bebés ou crianças ficam muito
moles e prostrados. É importante adquirir conhecimento da temperatura corporal
da criança.

Sinais de alerta

Perante a pele quente ao toque, faces rosadas, avaliação da temperatura, irritabilidade e prostração, em associação a outros sinais, os pais do recém-nascido ou criança com idade inferior a três meses devem contactar o médico.

Observar outros sinais

Na consulta o médico examina os sinais vitais da criança. Em
casa, os pais podem ver que quando os bebés têm mais febre tendem a respirar
mais rapidamente para libertar o ar quente e arrefecer o corpo – aumento da
frequência cardíaca (taquicardia). Porém existem outros sinais (que não se
englobam nos sinais vitais), mas que os pais podem ter atenção: sudorese
(transpiração), calafrios (sensação de frio), pele arrepiada.

Banho ou compressas de água tépida

Um banho com água tépida ajuda a arrefecer a temperatura do
bebé. Em alternativa, podem ser aplicadas compressas de água morna. Cuidado com
a água muito quente – pode provocar queimadura – ou demasiado fria – para
evitar um choque térmico.

Avaliar hidratação

É essencial a hidratação para ajudar a criança a recuperar
os líquidos. Os pais devem ter em atenção sinais de desidratação.

Sinais de desidratação

A febre pode ser favorável a uma situação de desidratação.

Para evitar este problema grave, os pais devem estar atentos aos sinais de alerta mais comuns:

  • A criança ou bebé está desidratada(o) quando se observa que:
  • A fontanela anterior (moleirinha) do bebé está acentuada.
  • A mucosa labial (dentro da bochecha) mais seca.
  • Diminuição da frequência da urina.
  • Urina mais concentrada e mais amarela.
  • Fazer a prega cutânea e constatar que a pele tem elasticidade insuficiente.
  • Ausência de lágrimas e prostração.

Medicação

Estas medidas nem sempre são eficazes ou suficientes para
controlar a febre no bebé. Sempre que se justifique, o médico assistente ou
pediatra prescreve medicação.