Conselhos para deixar a chucha

Conheça estratégias para ajudar a criança a encontrar alternativas ao uso da chupeta. Saiba mais sobre como encarar o “luto da chucha” numa perspetiva positiva.
Ana Margarida Marques
O uso da chucha confere conforto e segurança durante os primeiros tempos de vida.

Por volta dos dois ou três anos de idade, os especialistas defendem que a criança deve ser encorajada a conquistar outras formas de “autoconsolo”.

Maria João Alvito, fisioterapeuta e formadora de instrutores de massagem infantil, sugere algumas estratégias para ajudar a criança a deixar a chupeta.

Estratégias para ajudar o seu filho a largar a chucha:

  • O processo deve ser natural e a criança deve participar no “luto da chucha”. Entre no seu mundo de fantasia, por exemplo, invente uma história afetuosa: “um boneco fez uma viagem com a chucha” ou “a chucha vai dormir numa cama de brincar”.
  • Comece por reduzir o uso da chucha durante o dia. Numa primeira fase, a criança deverá continuar a sentir a falta da chucha na hora de dormir.
  • Para retirar a chucha à noite, a criança necessitará de alternativas para sentir-se segura e tranquila. Coloque uma luz de presença no quarto ou encoraje-a a dormir com o seu boneco preferido, por exemplo. Um ambiente adequado tranquilizará a criança e permitirá que fique menos dependente da chucha.
  • Acima de tudo, respeite o ritmo da criança e confie na sua capacidade de resposta aos novos contextos.

Quando a chupeta interfere com a dentição

A Ordem dos Médicos Dentistas recomenda que a chupeta deve ser abandonada até aproximadamente aos três anos de idade, para evitar problemas no desenvolvimento dos dentes.